24/10/2009

Ambiciosoa

Para aqueles fantasmas que passaram,
Vagabundos a quem jurei amar,
Nunca os meus braços lânguidos traçaram
O voo dum gesto para os alcançar...

Se as minhas mãos em garra se cravaram
Sobre um amor em sangue a palpitar...
Quantas panteras barbáras mataram
Só pelo raro gosto de matar!

Minha alma é como pedra funerária
Erguida na montanha solitária
Interrogando a vibração dos céus!

O amor dum homem? Terra tão pisada,
Gota de chuva ao vento baloiçada...
Um homem? Quando eu sonho o amor
De um Deus!...

Florbela Espanca
Charneca em Flor

3 comentários:

Carlos Gossel disse...

Gostei muito do seu blog...as fotos ... a poesia...também tenho um blog legal...acessa meu blog vc. vai gostar, tem muita poesia...apesar de não lhe conhecer um abraço...
//carlosgossel.blogspot.com

dyeve disse...

What I found doing surffing on internet..?! smiles.. A wonderful blog ! Well, congratulations! Yo're posts are all interesting. I'm glad that I found this blog! Have a splendid day!

Anónimo disse...

Aprendi muito