13/05/2007

Expectativas

Quantas vezes a expectativa e a desilusão andam lado a lado… Porque, moldamos as expectativas não ao objecto destas, mas a nós próprios, ao que queríamos, ao que ambicionávamos, ao que desejávamos, à nossa perfeição, ao nosso conto de fadas…
Expectativa é um sentimento que nos leva a esperar muito por algo, pagar qualquer “preço” por alguma coisa, ir o mais longe que se pode em função de algo que se deseja, porque pensamos que isso será o melhor para nós.
Se por um lado, podemos ter “falsas” expectativas em relação a uma coisa qualquer, por exemplo, uma roupa que vemos numa montra, compramos e logo no primeiro dia que a usamos, rasga-se e é claro que ficamos decepcionados e irritados.
Mas não se tratam apenas de futilidades… Por outro lado também podemos criar “falsas” expectativas em relação a alguém, e por algum motivo vemos que algo não acontece da forma que tínhamos imaginado, fantasiado, e retocado em nossas mentes… A realidade vai de perfeita, a que tínhamos imaginado, a platónica, a realidade verdadeira…
Gera-se quase um sentimento de perda, mas uma perda do que nunca tivemos, apenas imaginamos que iríamos ter ou que iria acontecer… Perdemos algo que só existiu nos recantos da nosso imaginário… A imaginação é uma faca de dois gumes, também pode ser o nosso pior inimigo…
Não deveríamos criar falsas expectativas em relação a acontecimentos futuros, das pessoas, das coisas, da própria vida. É muito melhor formar pequenas expectativas e ter surpresas, do que gerar grandes expectativas e ter frustrações… É melhor ser surpreendido, do que ficar desiludido… Não vale apena esperar de mais. Nada nem ninguém é como gostaríamos que fosse, são simplesmente como são!
Contudo a condição humana é terrível, não é tarefa fácil…Pois até em relação a nós próprios temos tendência a gerar inúmeras expectativas… Ou se calhar sou eu mesmo que sou terrível e penso que todas as pessoas são assim...
Há que ter cuidado na forma como exteriorizamos a nossa tristeza, ou a nossa decepcção, para não magoarmos quem muitas vezes não tem culpa do nosso cérebro fantasiar em demasia...
A personalidade não se consegue mudar acho eu... Não sei...


"Tens ainda tempo para vires a ser como te sonhei; tenho ainda tempo para me tornar merecedor de te ter como te sonhei."
Paulo Geraldo

4 comentários:

Anónimo disse...

Pelo que já li nos teus artigos, chego à conclusão que conseguir conhecer-te deve ser uma vitória muito boa e muito ansiada. Misteriosa. Um fogo que arde e que por vezes queima.
Continua!

Anónimo disse...

quantas vezes na nossa vida criamos expectativas..passamos dias e dias a cair na ilusao...e quanto acordamos, vendo que tudo as espectativas que criamos nao passam de ilusoes...que como dizes cada um é como é e nao podemos criar espectativas em relaçao às pessoas...adorei teu texto...da para reflectir um pouco.... escreves muito bem..estas de parabens.jinhos Elvina

JSilvio disse...

criar expectativas pode ser bom...mas nem sempre sao correspondidas...normalmente...temos tendencia a imaginar tudo perfeito.. e raramente a perfeiçao é um resultado...logo ficamos algo desiludidos...
o melhor talvez seja ir em branco...ou seja..nao esperar nada.. qd chegar o momento ...descobrimos como sao as coisas...boas ou más...
normalmente é melhor ter uma fasquia media e ficar surpreendido/a do que criar uma alta e ficar desiludido/a.

As expectativas sao parecidas com os sonhos...e tal como estes...é complicado tornar-se realidade....
As vezes acontece...mas só as vezes...


Beijokas loirinha

Anónimo disse...

As expectativas...quem não as tem?
No universo que criamos à nossa volta, recheado de realidade e de sonho...a expectativa é o que nos move. Toma atenção às que crias nesse teu mundo...que realmente é único...uma agradável surpresa, realmente, uma vitória...não diria tanto, mais um doce prazer, como saborear um daqueles chocolates que se desfazem na boca lentamente impregnando-nos todos os sentidos e deixando uma ansiedade por mais um pouco... apenas um pouco mais, como um agradável vício.
Quanto a expectativas, cada um de nós tem as suas, mais ou menos bem dimensionadas para que as decepções sejam mínimas e as surpresas imensas.
Não te esqueças também que as expectativas que criamos são o resultado daquilo que nos transmitem, dos sonhos que por outros são alimentados, não dependem exclusivamente de nós...mede bem os limites existentes e tenta que as expectativas que crias não ultrapassam esses limites...podem tornar-e decepções...por outro lado...um beicinho fica sempre bem, sem exageros...:)

Peknino