15/09/2015

Melasma: Luteína e Pycnogenol

Uma rápida pesquisa no Google com as palavras Luteína e Melasma oferece imensos artigos sobre como a Luteína pode ajudar a controlar/prevenir o melasma devido ao seu efeito anti oxidante. Esta protege as células cutâneas dos radicais livres gerados pela ação dos raios ultravioletas e da luz artificial. Promete potenciar a hidratação e a elasticidade da pele, e reforça a ação da melanina contra as agressões externas. 

Será mais banha de cobra? Não custa tentar a alguma coisa há de fazer bem! Comprei um frasco destes no Celeiro quando estive no Porto pois cá no Funchal não existe na Bioforma, não sei se poderá existir em outro local. Custou cerca de 20€ por 30 cápsulas, que se deve ingerir uma vez por dia com alimentos.

Depois também ouvi falar muito bem de outro suplemento o Pycnogenol, que também apresenta ação antioxidante e protege as células da pele, é feito à base de uma substância extraída das folhas do pinheiro bravo. Este reduz a velocidade de envelhecimento do organismo, melhora a circulação sanguínea, previne e controla rugas e linhas de expressão, promete também clarear a pele e aumentar a sua firmeza e  elasticidade. Este suplemento é um pouco mais caro cerca de 28€ por 30 cápsulas da marca Solgar. Contudo como devem ser tomadas 2 cápsulas por dia em 15 dias lá vai o frasco.







Sobre a Luteína: 

"Os carotenóides são pigmentos que dão a certos legumes e frutos a sua cor característica (vermelha, alaranjada ou amarela). Estes nutrientes antioxidantes protegem as células dos radicais livres, ajudando na prevenção de doenças degenerativas e cardiovasculares. Os carotenóides não são produzidos pelo organismo, pelo que só se conseguem obter através da alimentação ou ingestão de suplementos. 

Embora semelhantes, cada carotenóide possui propriedades específicas. Nomeadamente, a luteína encontra-se em abundância na fruta (laranja e tangerina) e nos legumes, em particular nos legumes de folha verde escura (espinafres, couves, brócolos e nabiças). Também se encontra no milho e na gema de ovo. 

Tal como os restantes carotenóides, a luteína é um antioxidante e, pode especificamente proteger os olhos, a pele e outros tecidos contra a oxidação destrutiva provocada pelos radicais livres. Este carotenóide possui a faculdade de filtrar os raios ultravioletas, nocivos, que podem lesionar a retina.

No que respeita a saúde da pele, a luteína actua como antioxidante protegendo a pele dos radicais livres resultantes da exposição aos poluentes ambientais e dos efeitos nocivos provocados pela exposição à luz (ultravioleta). 
 

As doses recomendadas para uma manutenção da saúde são de 6mg diários e, na prevenção de doenças, como a degeneração macular, já são recomendadas doses superiores. Como os carotenóides são lipo-solúveis acompanhe a sua ingestão com alimentos que contenham um pouco de gordura para uma melhor absorção."

Informação retirada de Site Celeiro


Acompanha as novidades no instagram @claudiaflorlotus

2 comentários:

fatima goncalves disse...

gostava de saber o resultado. daqui a 15 dias coloca novo post? :)

Claudia C. disse...

@ Fátima de daqui a 15 dias já tivesse resultados comia luteína todos ao pequeno almoço, almoço e jantar! Infelizmente os resultados são a longo prazo! Mas farei um post com os mesmo quando terminar esta embalagem! Beijinhos