02/03/2007

Infidelidade ou traição?

Um dia destes estava num café com um amigo, que até não era um local muito público, onde não passam muitas pessoas num dia de semana à tarde… Estávamos nós, um casal, um grupo de rapazes e dois empregados.
Esse casal, não estava a agir com a normalidade de um casal de namorados ou de casados, mas notavam-se uns gestos, uns olhares de cumplicidade, um toque aqui e ali…
Quando toca o telemóvel do senhorzinho, que de certeza ainda não está nos seus quarenta anos. Pela conversa e pelo facto de ele ser uma daquelas pessoas que falam em alto e bom som ao telemóvel, deu para perceber que a conversa ou era com a namorada ou mulher. Bem no início disse “Ainda estou a trabalhar!”…. Pois grande trabalho o dele, não é? Quem queria ouvir ouviu porque o barulho extra era pouco ou nenhum…
Eu que adoro reparar no que se passa à minha volta, observei logo que a rapariga, ficou meia atrapalhada, como que a pensar, “Será que alguém ouviu?” Credo… Cá nada filha, não te preocupes…
Sinceramente, naquele momento não sabia se tinha mais pena da mulher, se tinha mais pena da rapariga, ou se me apetecia mandar uma boca ao senhorzinho, que por acaso aparentava muito bom aspecto, sem estar vestido de forma formal…
Esta cena gerou, entre mim e o meu amigo, uma divagação colossal, acerca do tema da infidelidade, ou será traição?
Claro que ele na sua “raça” de homem lá tentou defender o outro, argumentando razões acima de razões para aquela provável infidelidade, porque nada ficou provado. Poderiam ser apenas bons amigos, mas penso que se são amigos, é uma amizade ai para o colorido! As desculpas eram do género: falta de atenção da namorada/mulher, o facto desta talvez já não se produzir, a rotina que se instala, discussões frequentes, problemas a determinados níveis, uma infindável lista, que nem me dou à maçada de enumerar!
A resposta que eu lhe dei não é muito adequada para colocar aqui a estas horas do dia…. Mas posso adaptar e dizer, que ele deveria ter o coração do tamanho do mundo, e que tinha muito “amor” para dar e vender!
E eu na minha “raça” de mulher, lá comecei a enumerar os argumentos contra o homem e a favor da mulher… E a suposta amante onde fica?
Coitada da mulher que de certeza deveria trabalhar e tomar conta da casa, talvez dos filhos, é obvio que não tem a mesma disponibilidade para estar sempre produzida para o maridinho, que sempre que chega a casa põe as “patinhas” debaixo da mesa à espera que o jantar venha até ele.
A esposa trabalhadora, doméstica e mãe, que também tem estar sempre produzida e sempre disponível aos desejos do marido! Versus o marido trabalhador e pai, que não tem de estar arranjando, porque homem não precisa, pode estar com barba de cinco dias e com barriga de grávida!
E a amante, que era uma rapariga aparentemente novita, bonita, porque escolheu este caminho? Um homem comprometido, casado ou com namorada, é comprometido na mesma… Será por razões económicas? Um jantar aqui e ali, um presentinho, de vez em quando… Será porque já sabe o que espera à partida, porque não tem que criar sonhos, nem futuros cor-de-rosa, nem levar com promessas que, não passam disso mesmo? Porque será que ela se contenta com bocados, pedaços de alguém, quando poderia ter o todo? Será que já teve o todo e perdeu, e agora não quer arriscar de novo, mas simultaneamente precisa de atenção…
Não sei mesmo…. Só sei que neste jogo perigoso, ninguém deve ser inocente… Talvez nem a própria mulher, mas isto sou apenas eu a fantasiar uma possibilidade num milhão…
Já agora vou aconselhar um livro que li, já há alguns meses, que aborda este tema, e que foi escrito por uma amante convicta, cá para mim não passa de uma frustrada! Mas o livro até tem piada e não deixa de ter algum sentido! “Não esperes por mim para jantar” da Ana Santa Clara. Digamos que de santa não deve ter nada!!

Fico à espera de comentários, sinceros, se possível!

2 comentários:

Jsilvio :) disse...

ele podia tar a falar com o patrao... q nao tava na empresa :P
ou com a mae.. ou o pai...
:P
mas pode tb ser casado... e tar a trabalhar pro futuro dele..a gaja podia ser rica...
lol
por falar nisso....vamos trabalhar?? :P
Ja sei..com antecendia... grrrr***

Anónimo disse...

As aparências iludem. Desta água não beberei é bem portiguês.
há sonhos que podem tornar-se em pesadelos e outros que são como tu. é aquilo que se vê e mais nada.